Erros na campanha eleitoral que podem te derrubar

Miniatura de Fotografia do Autor do Artigo Darlan Campos
15/07/2022

Erros na campanha eleitoral que podem te derrubar

 

Todo mundo erra, todo mundo vai errar, isso é indiscutível! Mas no período de campanha eleitoral qualquer erro pode ser uma avalanche numa candidatura, neste artigo você vai conhecer 4 erros que derrubam qualquer campanha.

Por que é importante falar sobre erros e não acertos em uma campanha eleitoral?

Erros durante o período eleitoral têm um peso maior por alguns motivos, o principal deles é que o candidato tem menos tempo para corrigi-los. Por essa razão costumamos dizer que vence a campanha quem erra menos.

Exatamente por isso a pré-campanha deve ser estruturada e muito bem elaborada, prevendo cenários, antecipando ações e executando-as com cautela.

O cenário de campanha eleitoral é, por si só, um ambiente muito propício à erros. O tempo corre contra o candidato, muitas decisões precisam ser tomadas em cima da hora e nem todas elas podem ser planejadas passo a passo. Isso somado ao constante estado preocupação do candidato, podem tornar este período um verdadeiro caos.

E a única forma de encontrar evitar esse caos é através da organização e planejamento.

E quais são esses erros e como podemos evitá-los?

  •  Mentir sobre seu passado

Acredito que seja senso comum que mentira destrói a confiança em um relacionamento, não é mesmo?

E se para ter uma campanha eleitoral candidato precisa se relacionar com o eleitor, mentir para ele não é uma alternativa muito inteligente.

Todo mundo tem algo em seu passado que se arrepende. Seja uma fala, uma aliança, um deslise. É comum. Entretanto o candidato precisa estar ciente que esse fato pode vir à tona durante uma eleição.

Os olhos dos eleitores, da mídia e dos adversários estarão atentos. E se algum acontecimento do passado voltar para assombrar a sua candidatura tenha em mente uma coisa: Não minta!

 

Mentir, seja para valorizar-se ou defender-se é um ato de covardia e inexperiência. Antes, esteja preparado para explicar-se e/ou desculpar-se pelo ocorrido. Deixe claro que todo ser humano está em crescente evolução e não seria diferente com você, “só porque é político”.

O eleitor gosta de honestidade e humildade. Reconhecer um erro e desculpar-se por ele é um ato de muita coragem. Enfrentar o júri popular (inclusive o tribunal da internet) é uma tarefa muito complicada.

Por isso, antes que seu adversário encontre sua falha do passado, pesquise sua trajetória e tenha listado todo e qualquer acontecimento que pode ser utilizado contra você. E planeje a sua defesa.

Ser pego mentindo mostra ao eleitor uma falha de caráter, e isso é gravíssimo. Não caia nessa tentação.

  •  Não se auto investigar

A consequência desse ato é justamente o que fora dito no tópico anterior: ser pego de surpresa com alguma revelação do seu passado.

Fazer uma densa investigação de toda a trajetória política e mesmo pessoal é fundamental. Estar preparado para se defender é muito importante.

Mas quero chamar a sua atenção sobre um ponto em particular. Se existe alguma coisa no seu passado que seu adversário possivelmente vai utilizar contra você, não seria mais prudente que você mesmo levasse isso a conhecimento público?

Pense comigo, desarmar a bomba é melhor que juntar os destroços.

Analise muito bem todos os fatos do seu passado e veja quais deles podem ou devem ser esclarecidos antes das eleições. Pode parecer um tiro no pé, mas o eleitor vai entender como um ato de honra.

Você pode falar com seus eleitores que sabe que a oposição vai utilizar um determinado fato do passado para desacreditá-lo, assim você mostra que o seu compromisso com a verdade e com o povo é maior que consigo mesmo.

Mas para que essa estratégia funcione é preciso que essa explicação seja verdadeira e sincera. Caso contrário você cairá no erro 1.

 

  • Ter uma candidatura indefinida

A definição tanto da candidatura quanto de si mesmo é o pilar de uma campanha eleitoral bem-sucedida.

Uma campanha não se resume em autopromoção, como pensam alguns. Vejo muitos candidatos que esgotam os recursos tentando projetar uma imagem política. Mas, a imagem política é consequência de uma autoridade e relevância em determinado assunto.

Embora pareça fácil, definir uma candidatura não é tão simples assim.

Definir uma candidatura é:

  • Combinar características pessoais, história de vida, trajetória, experiência política, propostas com o sentimento do eleitor.

Definir uma campanha é amarrar a imagem com a estratégia, e a estratégia é focada no eleitor.

A candidatura não deve ser definida de acordo com o que candidato e a equipe desejam, mas sim de conseguir que o eleitor se identifique com ela. O eleitor é o foco.

Um candidato que não consegue responder de maneira clara porque é candidato, algo está errado.

A resposta precisa ser direta e imediata, precisa ser articulada de acordo com os interesses do seu público-alvo. A sua candidatura precisa ser o que o seu eleitor busca.

 

  • Fazer uma campanha baseada em ataques ao adversário.

Um outro erro muito cometido nas campanhas eleitorais é a campanha negativa.

Campanha negativa se caracteriza principalmente pelos ataques serem o mote da candidatura.

O eleitor não gosta de campanha negativa. Ele percebe o intuito único e exclusivo de desacreditar e desmoralizar a candidatura do oponente. Essa prática gera uma aversão e uma certa raiva.

 

Veja, não é errado expor as falhas do seu adversário, tampouco pôr em xeque as suas habilidades. Mas esse não pode ser o único caminho. Uma campanha deve ser pautada nas suas qualidades e propostas, não na desmoralização de outrem.

Se você for expor alguma falha do seu adversário é preciso ter muito cuidado e ter certeza de dois pontos:

  1. Eu posso provar a acusação que estou fazendo?
  2. Eu tenho credibilidade e força para aguentar um contra-ataque?

Responder essas duas perguntas é fundamental antes de publicar qualquer tipo de crítica ou ataque. Primeiro e óbvio ponto, é preciso ter certeza da informação antes de veiculá-la. Muito cuidado com a distribuição de rumores e fake News. O princípio básico é ter documentos que comprovem a acusação

Segundo, se você atacar alguém é bem provável que sofra um contra-ataque. Para enfrentar uma retaliação é necessário ter certeza que a sua base aguenta. Não dá para partir para o ataque antes de ter uma credibilidade estabelecida com o eleitorado. Uma reputação e uma imagem firmada.

 

 

É claro que há outros erros que podem prejudicar a campanha, listá-los todos neste artigo seria impossível.

Por isso, continue acompanhando nosso conteúdo para não cometer esses e outros erros na sua campanha. Conheça também o podcast República Cast, por lá você encontra muito conteúdo de altíssima qualidade.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao continuar navegando você concorda com o uso dos cookies, termos e políticas do site.

Leia mais